quarta-feira, 27 de julho de 2016

ESCRAVO


ESCRAVO

Cravo os meus olhos
Nos teus olhos, no teu corpo
Desta tentação desatinada
Sangue que uiva através
Do meu corpo ao teu
Seios que são cerejas doces
Onde ficaste preso
Nos segredos meus, teus
Beijos dados dos teus lábios
Na textura doce da minha pele
Desejos nas pétalas das rosas
Entre as tuas folhas e o meu perfume
Desejo-te nas ondas do calor do teu corpo
Numa tarde de loucura em chamas vivas
Escravizando-te nas asas da minha imaginação.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

As Imagens Do meu Vídeo