domingo, 12 de janeiro de 2014

"DESPIDAS"

 "DESPIDAS"

Outono, inverno
O jardim esta seco
As arvores despidas
Suspiram liberdade

Iluminam as almas
Perdidas, esquecidas
Ventos silenciosos
Ardem nos corpos nus

Anjos de luz onde
A morte não afaga-nos
Abafa-nos a nossa identidade
Nem a diferença

O sangue não circula
Chama-te, sente-te, chora
Fechas-se, deseja-te
Implora-te por breves momentos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca