terça-feira, 25 de outubro de 2016

NÃO SEI OU SEI


NÃO SEI OU SEI
╰⊱♥⊱╮
Estou despida das palavras
Não sei amar pela metade
Não sei viver de mentira
Por entre os olhares risonhos
Que vou descobrindo na alma
As letras escritas em palavras
De uma poesia feita em sonhos
Partilhada pelos abraços dos amantes
Apaixonados entre a forca dos atalhos
Somos livres de escolha, dos ecos
De um belo poema refeito de retalhos
Deixado nas portas entreabertas
Das angústias dos pobres solitários
Que gritam nos sonhos esquecidos
Escrever é a maneira de preencher
O meu vazio, não sou poeta, sou a solidão
Canto diário de amor numa sinfonia de dor
Dos versos de quentes beijos de glória e louvor.

╰⊱♥⊱╮╰⊱♥⊱╮╰⊱♥⊱╮╰⊱♥⊱╮╰⊱♥⊱╮

Isabel Morais Ribeiro Fonseca