sábado, 18 de junho de 2016

CIGARRO O ÚLTIMO


CIGARRO O ÚLTIMO

Estou vazia sem força
De linhas cosidas na alma
Num silêncio absoluto
Ensurdecedor de palavras
Soltas, perdidas, esquecidas
Escritas que não querem conjugar
Não consigo escrever, o meu corpo
Foi, passou para lá do limite, quem sabe
Fumo talvez o último cigarro de ti
Para nunca mais te voltar a tragar
Inspiração que traz à minha boca
O teu sabor, sabor esse que traz
Ao meu peito um tremor invasivo
De um intenso desejo do teu aroma
Aroma perfumado da tua pele em mim
Apetecia-me fugir por momentos
Esquecer o mundo sem lamentos
Como uma lágrima em cada poema
Num sentimento desejado, envolto
Num longo suspiro, de uma inspiração
Desenhado com uma infinita emoção
Onde os sonhos nos levam ao coração
Fumo um cigarro talvez o ultimo
Onde me sinto silenciosa, só…sem ti.

* _*
<\--♥
_/|_ ✿❀༺༻❀✿

Isabel Morais Ribeiro Fonseca