quinta-feira, 26 de junho de 2014

"PORTO DE ABRIGO"

 "PORTO DE ABRIGO"

Porto de felicidade
Pintaste no meu corpo, o teu nome
Com ele senti-me segura e protegida
Como a chuva que aparece com saudade
Leve, miudinha, mansa que ensopa
Todos os meus sonhos deste dia
Descreves o meu nome no meu corpo
Com palavras na minha memória
Pelo som, cheiro e sabor
Palavras que correm escritas
Com a tinta de uma pena suave, pelo meu corpo
Sangue quente que corre nas minhas veias
Como uma doce fragrância de amor
Ecos das palavras que escrevo
Onde sinto-me invadida com sentidos
Voz silenciosa
Que pintas o meu corpo de belas cores
Selamo-nos com a pintura com beijos molhados
Molhadas de um olhar sereno, porto de felicidade.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca