terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

"QUENTES NOITES"

 "QUENTES NOITES"

As noites quentes e frias de inverno
Passados a lareira ,vinho no copo
Com ar livre de prazeres das noites frias
De inverno nos reserva, onde é bom descobrir

Amar num jantar feito ao luar numa noite
De inverno, sentados num cobertor
De lã de ovelha, quentinhos, juntinhos
Estamos, sentimos o corpo a queimar.

Fogo da paixão que arde como as labaredas
Da lareira acesa , queima o corpo, une-se o beijo
Aroma de pinho, carvalho, sombreiro a arder
Uma mistura de perfumes perfeitos da natureza.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca