quarta-feira, 3 de setembro de 2014

"HÁ DIAS ASSIM"



"HÁ DIAS ASSIM"


Há dias assim; tristes, escuros
Mas nem todos os dias são como a tempestade
Há dias em que o sol aquece-nos a alma
Quantas vezes, fico parada no meu silêncio
Silenciosa nos meus pensamentos
A pensar e a olhar para nada
Como se o tempo parasse
E não se compadecesse com a minha dor
Com a minha desilusão ou o silêncio
Que a minha solidão e a minha tristeza me abandone
Para que a vida siga boa ou má
Há dias que a dor entra pela minha alma
Onde eu não sei como fugir de sua presença.
Percorre cada recanto, caminho só meu
Que eu nunca dei a conhecer a ninguém.
Sei que conheces de cor o meu coração
Ainda que negue muitas vezes da sua existência
Não sei rezar sobre esta dor
Talvez por isso, resolvi escrever
Para não desistir de mim.
Segui a luz que me guia pela vida fora.



Isabel Morais Ribeiro Fonseca